A Voz do Povo

Anuncie Aqui

quinta-feira, 10 de março de 2011

Jucemara Oliveira No palco da vida




Aos 36 anos, ela conseguiu se profissionalizar como atriz. Já fez quatro filmes e nove peças de teatro, além de figuração ao lado de grandes nomes do cinema nacional
Por Elliana Garcia
eliana.garcia@arcauniversal.com

Desde pequena, o sonho da paranaense Jucemara Oliveira, de 36 anos, era ser atriz. Suas brincadeiras de infância preferidas eram transformar-se em outra pessoa, só assim podia esquecer as dificuldades. Filha de um pedreiro e de uma dona de casa, ela tinha uma vida econômica difícil; mas, como sonhar não custava nada, embarcava nessa fantasia.
Na escola, sempre que pensavam em encenar uma peça teatral, Jucemara era a primeira a se prontificar. Não importava o papel, o que ela queria era estar no palco, mesmo que a platéia fosse composta pelos familiares e os coleguinhas de escola.
O pai não gostava da idéia da filha querer ser atriz. Já a mãe, a incentivava a não desistir do seu sonho.
Quando completou 15 anos, sua família mudou para Campinas, no interior paulista. Não demorou para que a menina descobrisse um grupo de teatro chamado “Fazendo a cena”. “Foi ali que, pela primeira vez, pude sentir a emoção de pisar em um palco de verdade e ter a mais absoluta certeza do que queria”, relata.
Com o grupo teatral, Jucemara apresentou-se pela primeira vez para uma platéia diferente da escola. Ali, começava a realizar parte do seu sonho. Durante alguns anos, viajou por diversas cidades apresentando espetáculos.
Aos 18 anos de idade, Jucemara casou-se. Ela teve três filhas e chegou a ter uma vida financeira estável. Porém, o desejo de voltar aos palcos, de atuar, continuava aceso dentro do seu coração. Depois de 13 anos, o casamento chegou ao fim. “Sofri muito, afinal, ninguém, casa para se separar”, lamenta. Com o casamento desfeito, era hora de encontrar forças e retomar aquilo que sempre foi importante em sua vida.

Voltando a sonhar

Jucemara voltou aos cursos de teatro. Aliado ao curso, exerceu os trabalhos de vendedora, secretária e telefonista, para ter como se manter. Mesmo enquanto estudava, ainda encontrava tempo para se dedicar a peças teatrais nos finais de semana. Faltava apenas algo para que, enfim, pudesse deslanchar na carreira: o registro de atriz. Em 2010, ela conseguiu o registro de profissionalização, o DRT. Com ele em mãos, ela, que já era conhecida nos palcos em Campinas e região, queria mais.
Mesmo enquanto estudava, ela corria atrás dos seus objetivos e conseguiu fazer figurações para grandes filmes como “De pernas pro ar”, com Ingrid Guimarães, “Meu País”, com Cauã Reymond, “ O Palhaço”, com Selton Mello, entre outros.
Depois de tanta figuração, era chegada a hora de sua estrela brilhar. Recebeu o convite para fazer a personagem Catherine, no filme “L’aspirine”, que está participando de vários festivais de cinema
Provando que não basta apenas ter talento, mas também força de vontade, Jucemara está gravando o seu segundo filme: “Desalmados”, do diretor Flavio Carnielli.
Além desses trabalhos, já atuou em quatro comerciais para a televisão, dois curtas metragens, nove peças teatrais, e tem certeza que ainda virá muito mais.
“Nunca quis ser atriz para ser famosa. Assim como há pessoas que sonham ser médicos, jornalistas, meu sonho era ser atriz. Deus tem me abençoado muito, pois Ele sabe do desejo que havia em meu coração. E quando a gente tem um sonho, tem que lutar por ele. Sei que tenho um longo caminho a percorrer e, nessa jornada, Deus estará sempre comigo”, finaliza.


Fonte: Arca Universal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Veja os Telefones Uteis Clicando aqui

Cantinho do Leitor